domingo, 30 de outubro de 2016

Um intervalo para aproveitar !

    Terça feira, 08/12/2015, Claudio tinha apresentação na igreja do colégio com o coral, eu e o Erick, como bons pais presentes e participantes, havíamos ensaiado semanas pra fazer parte das apresentações, tocando e cantando com eles. Mas tinha um "problema" chamado Teodoro, que percebendo que estava sobrando no evento não poupou escândalo para ser o centro das atenções dentro da igreja. 
     Vovó Cássia muito paciente saiu de cena com ele, que berrava tanto na rua que fui atrás, vi minha mãe tentando conter um bebê gigante, conversei com ela brigando pois não podia se esforçar e Teodoro é fortão, parei um táxi e coloquei os dois dentro, mandei pra casa, uma reta e em 5 minutos estariam bem.
     Ao final da apresentação liguei, ela me informou que Teodoro estava ótimo, já tinha comido e estava brincando, pediu pra gente seguir os planos e ir ao shopping ver o papai Noel e andar na roda gigante da decoração natalina. Claudio teve um resto de noite de filho único.
     Chegando em casa, todo mundo cansado, o combinado era pizza mas resolvemos deixar pro outro dia (Claudio tinha outra apresentação, dessa vez na Paulista) e comemos macarrão alho e óleo feito rapidamente pelo Erick. Eu, claro, tive reação ao carboidrato e me despedi da minha mãe sem levantar a cabeça, estava enjoada. Boa noite !
     No outro dia, meu primeiro de férias, não acordei com ela como todos os outros dias, fiquei dormindo e acordei pouco depois com um telefonema dizendo que ela havia passado mal na porta do trabalho.
"É uma AVC, corre pra cá que já chamei o SAMU". 
     O meu mundo começou a girar em sentido contrário neste momento e creio de verdade que ainda, quase um ano depois, não entrou nos eixos.
     O fato é que tínhamos planos, para aquela tarde e noite, para o fim de semana, para o Natal que estava próximo, até para o seu aniversário do próximo ano com o show tão esperado do Roberto Carlos.
     A vida estava programada, planejada, arquitetada... como poderia dar errado!?!?

    Falei com a minha mãe por alguns minutos no dia 9, depois cirurgia, cedação, UTI e choque cardiogênico.
          Não tive tempo de me despedir !
     Eu realmente acreditava que ela ia sair dessa, ela era uma mulher forte (apesar dela achar que a forte era eu) e sempre resolvia tudo, ia dar um jeito de ficar bem dessa vez também.
     Na verdade, isso foi a última coisa que pedi a ela "aguenta firme e fica bem".
     Era um pedido desesperadamente egoísta revelando apenas uma coisa...
         MEU MEDO DE FICAR SOZINHA !

     Entendam, sou filha única, criada por uma mãe super protetora e dependente de mim (sim é bem contraditório, difícil até pra minha terapeuta) e não sabia ser ninguém sem ela.
     Eu era a filha da Cássia e sem aviso me vi sem história (pra quem perguntar coisas da infância, receitas rotineiras, dúvidas existenciais) e sem metade de mim. Era uma simbiose, não era justo tudo acontecer sem aviso.
          O que eu fiz de errado?????
     Essa pergunta me assombrou por meses.
     Aos poucos fui lidando com o fato de que NADA acontece ao acaso e olhando para trás percebemos que tudo tem um razão de ser.
     Acredito muito que a morte da pessoa reflete ela em vida, pessoas boas demais morrem sem sofrer.
     Ela não sofreu, já eu...achei realmente que não ia aguentar, nem emocional, nem fisicamente. Cheguei ao limite da dor e descobri que existia mais estrada depois do fim. Era só eu querer continuar.
     Confesso sim que no início eu não queria. Não era egoísmo, era falta de capacidade mesmo, desespero.
     Mas os dias vão passando e a dor vai anestesiando a alma e vamos respirando meio que no automático, resistindo minuto por minuto, hora por hora, semana por semana.
     Tô aqui há praticamente onze meses.
  Tem dia que parecem onze anos, tem horas que parece onze minutos.
     O tempo na dor é bem relativo.

     Ontem assisti um filme pra passar o tempo da minha insônia persistente.
"Pronta para amar" resumidamente é a história de uma mulher que descobre um câncer terminal e se despede da vida, das pessoas que ama e dos seus medos, antes de morrer.
     Eu como boa estudante de psicologia entendi muita coisa dentro de mim.
     Em abril meu corpo começou a sofrer muito as consequências de tanta tristeza e cansaço, em junho estava muito doente, um médico mandava eu ir no outro, suspeita de "você tem o que sua mãe teve" até linfoma, misturada com "sinto muito não sei o que você tem".
     Eu torci para ser câncer. 
     Ontem entendi o por quê.
   O câncer te dá tempo para se preparar, lidar com todos os medos e escuridão, repensar a vida, se despedir de quem ama, etc. Dá tempo pra lidar com algo que sabemos que vai acontecer mas fingimos que não. Te faz encarar a morte olhos nos olhos.
Meu maior medo agora é morrer do nada, assim como minha mãe. Ou perder mais alguém da família assim, sem aviso.
     Claudio foi para terapia pois estava com o mesmo medo. É como o tal gato escaldado que tem medo de água fria, não dá pra ignorar o que aconteceu e viver tranquilamente achando que nunca mais vai se repetir.
     Só o tempo vai acalmar nosso coração, mas até lá ele é muita ansiedade por todos os próximos minutos e o que eles nos reservam.
     Estamos, aos poucos, entendendo que podemos relaxar um pouquinho, confiar de maneira bem iludida que o raio não cai duas vezes no mesmo lugar.
      A gente vai se enganando e volta a fazer planos, a contar com o calendário como uma coisa certa, a deixar a pizza pro dia seguinte porque é preciso economizar.
     Mas lá no fundo sempre fica o medo de ser o último beijo, o último eu te amo, a última risada, o último boa noite.

      Volto a escrever aqui com calma, porque até pouco tempo não fazia sentido fazer nada, afinal não existia futuro.
     Porém vou preencher o espaço que me resta até o último dia com muito amor e espero que ainda muitos sorrisos.
      Porque do início ao fim, a única certeza que temos é o intervalo.

     Só uma dica, viver cada dia como se fosse o último causa uma ansiedade do kct e te impede de fazer planos para o futuro.
   Portanto, eu não recomendo essa máxima, mas recomendo que a gente sempre se despeça das pessoas como se fosse a última vez, porque no fim é a única coisa que conta de verdade.

Eu disse todos os EU TE AMO que podia.

Boa noite ! 

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

2016

Chegou 2016 me mostrando 
como nunca antes na minha vida 
que é necessário ADAPTAR.

E nunca antes foi tão difícil conseguir !

Vai ser neste espaço que vou escrever pra não enlouquecer.
Aos poucos, porque falar sobre tudo tem sido exaustivo.

Não prometo nada, mas vou tentar 

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Dica de Amiga

Há uma semana eu recebi um recadinho de uma amiga que me deixou muito feliz.
Vanessa Raya anunciava o lançamento do seu livro, que é um sucesso, não tinha como ser diferente.
A Van é uma mulher linda, inteligente, muito comprometida com o que faz e se dedica ao meio plus size da moda com afinco. Ela estuda, se atualiza, se informa como poucas e isso -é obvio- faz toda a diferença.

Pois bem... ela lançou o "De gordinhas a Cinderelas" praticamente um manual de auto ajuda pra quem é gordinha e que ficar linda, por dentro da moda e com a auto estima lá em cima.
Ou seja, um diário pra deixar alí no criado mudo ao lado da cama. ;)

Capa do livro com a Van linda, vestindo Arthur Caliman.

Para adquirir o livro é só clicar AQUI.

Mas vale a pena dar uma olhada no blog da Vanessa (o Sapatinho de Cristal) e ver que tem festa vindo por ai!!!!!

Depois pode vir me agradecer pela dica viu?!
Beijos



terça-feira, 16 de setembro de 2014

Desafio 30 dias

     Quando a Renata Poskus do blog Mulherão me chamou pra fazer um desafio dos 30 dias juro que a primeira coisa que passou pela minha cabeça doida foi algo no estilo Activia. rs
     Depois entendi o que era e achei a ideia muito legal, mas por onde começar?!?

     Meus dias tem sido loucos, dormindo 4 horas por noite e correndo a ponto de não parar nem pra beber água. Sei que tudo isso não faz bem pra saúde, porém no momento não fazer tudo isso me deixaria pior, ultrapassar limites foi necessário pra sair de uma situação bem triste (que estamos superando) e dar a volta por cima. O que é ótimo para a auto estima!

    Porém nos últimos meses eu tive que me cuidar na marra.
    Na verdade depois que fui pra inauguração do rooftop do Arthur Caliman sem nem fazer as unhas (tive o melhor dos motivos, juro) eu prometi pra mim mesma que iria arrumar tempo pra me cuidar (e escrever aqui rs)... desde então tenho tomado algumas atitudes como deixar meu banho proveitoso (sabonetes especiais, hidratações, esfoliações, cremes), comprar acessórios novos, fazer as unhas... rs.
    Mas tudo na base do eu mereço e tenho que fazer.

     Hoje, pra começar o desafio me permiti parar !
     Não estava bem e fiquei em casa, me cuidando por "opção" e descansando. Uma coisa que pode parecer tão boba mas que até ontem para mim era impensável. Passei o fim de semana ruim e hoje, ainda na madrugada, vi que meu dia seria quase impossível.
     E o que eu fiz?!?
     Parei para respirar fundo !!! =D



      Claro que de manhã, mesmo sabendo que ficar "de cama" era a melhor solução, senti muita culpa.
     Fiquei preocupada com minhas faltas na faculdade (que são reservadas para trabalho e filhos), perder um dia de ir e vir, trabalho, compromissos com hora marcada que fui obrigada a desmarcar, entre outras coisas da rotina louca, rígida e programada que venho levando.
     O que só mostra o quanto eu estava me colocando em segundo plano e isso não é bom !
     Aproveitei pra comprar coisas importantes que ainda faltavam pro ap novo (on line pois estava impossibilitada de andar), pra ficar agarrada no meu bebê, ouvir música alta, comer chocolate, rir bastante...
      E no fim do dia, deu tudo certo, o mundo não acabou e eu sobrevivi. kkkkk

     Então no #Dia1 eu PAREI.
     E também decidi que nestes 29 dias restantes vou parar um pouquinho por dia pra prestar atenção em mim. Pode parecer bobo, mas é bem difícil, quando vejo o dia passou e as vezes nem no banheiro fui para fazer xixi.
     Agora isso não pode mais acontecer, tenho que parar e dar atenção pra mim também.
     Até porque sem mim não há trabalho, estudo, carinho de mãe e alegria no mundo. rs





Que tal entrar neste desafio também?!?
#desafio30dias #blogmulherão


sexta-feira, 12 de setembro de 2014

O dia que fiquei invisível

Há uns dias não me sinto muito bem.
De primeira achei que era cansaço, depois pensei na possibilidade de ser o calor somado a baixa umidade do ar. No fim já pensava em depressão, divórcio, fugir pra Pasárgada com passagem só de ida.
No meio da correria não parei pra pensar, no fim de hoje estava tão mal que mandei um whatsapp pra minha psicóloga pra marcar minha volta pra terapia e voltei arrastada pra casa. Chegando no corredor de casa a luz (que acende automaticamente com a presença de alguém) simplesmente não acendeu.
Neste momento eu tive uma certeza...estava invisível e isso era bem compatível com a minha situação.

Eu chegando em casa hoje.


Entrei, tentei focar nas coisas práticas e urgentes que tinha para fazer (trabalho, organizar tarefas da faculdade e cuidar de filho) segurando uma vontade louca de chorar e foi então que tudo fez sentido...
EU menstruei.

Tem mês que minha TPM é maior, tem mês que menor e quase imperceptível.
E atire o primeiro chocolate a mulher que não conhece a tensão pré menstrual e que nunca teve um sintoma sequer.



A minha TPM se define muito bem neste quadrinho e costuma se apresentar sempre com uma destas letrinhas. Sei que os sintomas mudam conforme meu mês, quanto mais cansada pior ela vem.
No mês que durmo pouco/mal, como igual meu nariz, não paro pra me cuidar, ela vem como agora, no estilo ABCDtodasasopções e me faz prometer mudar meu estilo de vida no próximo mês pelo bem da minha família e pessoas ao meu redor. Mas aí, sabe cumé né?!
É tipo dieta. A balança sobe, o jeans aperta, você promete não comer e no primeiro fast food ou ansiedade já foram as calorias do mês !!! rs

Bom, o fato é que eu, após ter consciência do meu mal, respiro,espero passar e me seguro para não tomar nenhuma decisão importante nestes dias (Erick está instruído a pedir 15 dias de prazo antes de dar o divórcio).

Hoje eu podia estar matando, assaltando a geladeira, gritando com as pessoas...mas estou aqui, escrevendo neste blog e pedindo encarecidamente que:
Se você conhece uma receita de vó (tipo chá de alho para gripe, porém um pouco mais gostosa) para amenizar TPM, por favor escreva nos comentários.

Pense, você pode estar salvando vidas ! =P

E, por piedade, compartilhe comigo qual o tipo da sua TPM (pra eu não me sentir a mulher mais louca do mundo sozinha) e o que faz você neste período fofo e devastador.

Conto com todas vocês.
Beijos




quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Arthur Caliman

     Em 2011, conheci o Arthur Caliman enquanto participava do Perdas & Ganhos da GNT. Fui até a loja provar um vestido para meu casamento, que aconteceu durante o período do programa, e tive duas surpresas:
     Primeira, aquela loja linda tinha vestidos mais lindos ainda no meu tamanho.
     Segunda, Arthur era um fofo e estava lá pessoalmente para acompanhar a prova do vestido. Tudo bem que na hora eu achei que era por ser uma visita acompanhada de uma produtora da GNT, depois Arthur veio conversar comigo e percebi que ele realmente não era um estilista fresco e famoso. rs
     Conversa vai, conversa vem...desenvolvemos uma linha pensada para o mercado curvilíneo (sim, ele me colocou pra ajudar em tudo desde o começo) e me tornei a modelo da campanha.
 
     Dois anos depois e seis meses após ter meu segundo filho, Arthur me telefona e pergunta se eu estava "de volta a ativa". Como nesta gestação eu trabalhei como modelo até o quarto mês e não tranquei a faculdade em momento algum, nem tinha outra resposta a não ser, é clarooo que sim !
     E então começamos aos poucos, fui assumindo funções e quando eu vi estava responsável pela volta de um amigo (sim, Arthur neste tempo se tornou mais que um estilista-contratante) ao mercado plus size.

   E resumindo, foi mais ou menos assim...

*Voltei como modelo de prova, mas como o manequim depois de ter um filho aos 32 anos não é mais o mesmo, quem assumiu foi a Caroline Ferreira. E em seguida já acompanhei as novas fotos com a top Cléo Fernandes.

As Caliman's girls... Caroline, Cléo e Eu, com AC.

     No mesmo dia das fotos já fechamos nossa participação no FWPS, maior evento do meio plus e minha vida mudou.
     Em dois meses coloquei todo meu conhecimento em produção (sim, já trabalhei muito com isso) em prática e realizei um desfile lindo, feito com muitooooo amor e dedicação.

     Pré FWPS, fotos de divulgação com as 10 blogueiras mais fofas, divertidas, inteligentes e lindas que reuni para vestir Arthur Caliman em clima de festa, já que era a comemoração da décima edição do evento.

Da esquerda para a direita: Marina Sena, Mel Soares, Renata Poskus, Keka Demétrio, Alinne Rosa, Bruna Carlucci, Helena Custódio, Juliana Ricci. Sentadinhas Juliana Romano e Vanessa Raya.
 

      E no grande dia, um desfile perfeito, com modelos lindas e acima de tudo uma equipe impecável.

Ainda tinha mais gente que não apareceu na foto


     No meio do caminho ainda teve a inauguração do rooftop AC, mas isso é muito especial e vou escrever em outro momento.

     Em pouco tempo, nunca fiz tanta coisa junta, mas valeu cada momento.
     Lógico que não dá pra falar de tudo em uma unica postagem, mas vou voltar e contar um pouco dos bastidores (mostrar fotos que só eu tenho hauhauha) e apresentar novidades. Hoje foi só a introdução do assunto. rs

     E pra quem quer saber, continuo trabalhando com o Arthur, elaborando novidades, preparando um casting com modelos lindas e prometo contar tudo que acontecer daqui pra frente sem tanto atraso. ;)
 
     Por hoje chega, mas volto em breve.
     Enquanto isso, veja e reveja todo o glamour da nova coleção Curvy AC.


Eu apareço neste vídeo, ganha um beijo quem achar. =P


Todos os vestidos mostrados aqui você encontra exclusivamente na maison Arthur Caliman,
localizada na av. Sto. Amaro, 537, Vila Nova Conceição em SP.






*apesar de tudo, isso não é um publipost rs


Escrevendo...

Há alguns dias, pouco antes do FWPS (que aconteceu dia 23/08), eu fui parada no corredor da faculdade e ouvi:
- Quando você vai voltar a escrever? Eu adoro ler o que você escreve no blog!

Confesso que não esperava. Oo
No meio da loucura em que eu me encontrava, parei uns segundos, pensei e prometi que voltaria assim que terminasse o evento.
Não tinha como ser diferente, senti muito carinho naquele pedido, mas não tinha tempo.
Porém quem quer faz, quem não quer arruma desculpa. ;)

Então aqui estou, retornando como já fiz antes, mas desta vez com um foco um pouco maior e de maneira muito planejada -a propósito, pensei muito durante esse tempo todo, para ter certeza que era o melhor a fazer- e comprometida.

Em uma auto-análise descobri que meu maior problema é sempre achar que o que escrevo não é interessante pra ninguém, não tem um objetivo único. Esse blog nunca teve a pretensão de ser plus size, ou diário de mãe, ou relatos filosóficos e acadêmicos...nunca teve um foco, e isso me incomodava muito.

Percebi que era um incômodo apenas meu, que sou chata e sofro de atelofobia.




Mas é melhor ser imperfeito do que nunca fazer nada !!!

E diante desta conclusão, voialà um blog que fala sobre tudo que me compete, tudo que faço, o que já não é pouca coisa.
Sou filha, esposa, mãe de dois, estudante universitária, professora, modelo, produtora, dançarina e sim, exerço tudo isso e mais um pouco ao mesmo tempo e agora. Ufa ! rs
Tem dia que não paro nem pra fazer xixi e no outro tenho que estar no salto, unhas feitas e maquiada para trabalhar.
Muita gente me pergunta "como você consegue???"
E a resposta eu vou dar aqui, aos poucos, compartilhando meu dia a dia insano.

Agora, se eu trocaria tudo por um mar de calma?
Não, clarooo que não !!!!

Voltei, bem vindos ao meu turbilhão de pensamentos, aperte o cinto e vem comigo.